Foto: Anderson Rodrigues

 

Nos dias 10 e 11 de novembro, na Casa de Artes Sustentáveis - CAS, localizada no bairro Dois de Julho (Salvador), às 19h, o público terá oportunidade de assistir gratuitamente a mostra cênica Alvorada e Entardecer da Gente Anoitecida, encenada por alunos da sétima edição do Curso Oficinão Finos Trapos.

  

A trama, do espetáculo, narra o cotidiano na vida dos cidadãos da cidade de Doutrinlândia – A cidade mais que perfeita. Dos primeiros raios de sol ao crepúsculo, os cidadãos que moram na Chapada dos Desolados correm contra o tempo para ganhar a vida sem se perder no novelo dos Tecelões do Tempo e outras criaturas míticas que encontram pelo caminho. Na encenação o público se torna também um personagem da trama - o estrangeiro -  que afeta e é afetado pelas relações que se estabelecem entre criaturas míticas, arquetípicas e naturalistas da trama.

  Foto: Anderson Rodrigues

 

 

 

A mostra tem dramaturgia de Francisco André, encenação de Frank Magalhães e produção executiva de Thiago Carvalho. Sua estreia ocorreu nos dias 20 e 21 de outubro, no Teatro Gregório de Mattos, com lotação esgotada.  Estas apresentações fazem parte do projeto Trilha de estórias nos Trilhos do Subúrbio Montagem do Espetáculo "Ponta de d´areia - Pedaço do Céu" do Grupo de Teatro Finos Trapos, selecionado no Edital Arte em Todo Dia - Ano III, realizado pela Fundação Gregório de Mattos (FGM) da Prefeitura de Salvador e que desenvolverá ainda outras atividades, em 2018.

Foto: Ingrid Lago

 

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia: Francisco André

Encenação: Frank Magalhães

Elenco: Ade Argolo, Aila Monteiro, Alan Luís, Ariane Rodrigues , Bruna Taís, Clauter Martins, Davis, Edlene Silva, Flora Rocha, Franclin Rocha, Gabriela Baqueiro, Henrique Miranda, Iago Gonçalves, Ingrid Lago, Ingrid Miranda, Ive Carvalho, Jean Morales, Jorge Sodré, Juliana Luz, Kalú Santana, Lahana Olipa, Liana Perez, Liliane Pires, Marcos Machado, Mario Smith, Matheus Menezes, Rafaelle Aragão, Rejane de Sousa, Sara Andrade, Sérgio Santana, Terezinha Passos, Ulisses Pavinič, Vânia Pitanga.

Direção Musical: Gabriel Carneiro

Coordenação de Produção: Thiago Carvalho

Produção Executiva: Bruna Taís, Flora Rocha, Ingrid Miranda, Liana Perez, Marcos Machado, Matheus Menezes,  Rafaelle Aragão e Sergio Santana.

Figurino e Maquiagem: Bruna Taís, Ingrid Miranda, Liana Perez, Rafaelle Aragão

Fotos: Ingrid Lago e Anderson Rodrigues

Programação visual: Yoshi Aguiar

Assessoria de Imprensa: Poliana Bicalho

 



 

SERVIÇO

O que:  Mostra Cênica: Alvorada e Entardecer da Gente Anoitecida

Quando:  10 e 11 de novembro (sexta e sábado)de 2017, às 19h.

Quanto: Gratuito (Distribuição de senhas 1h antes do inicio do espetáculo │sujeito à lotação do espaço)  

Onde: Casa de Artes Sustentáveis - CAS, localizada na rua Democrata, nº 21,  Dois de Julho.

Classificação: 12 anos

Mais informações:  www.grupofinostrapos.com.br

Realização: Finos Trapos Produções

Apoio financeiro:  Edital Arte em Toda Parte - Ano III, realizado pela Fundação Gregório de Mattos (FGM) da Prefeitura de Salvador.

 

Casa de Artes Sustentáveis

Foto: Arquivo CAS

 

Novos ventos sopram neste finzinho de 2017. O Grupo de Teatro Finos Trapos e o Coletivo das Liliths, a partir deste sábado (28/10/2017) vão se tornar grupos residentes da Casa de Artes Sustentáveis - CAS, localizado no bairro Dois de Julho (Salvador) e ao longo de 2018 terão oportunidade de desenvolver de forma continuada diversas atividades neste espaço.

A CAS é uma residência artística, localizada em um casarão do século XIX em frente à Bahia de Todos os Santos. Sendo um espaço de aprendizagem, troca e produção cultural-artístico, sempre valorizando o passado enquanto inovando o presente. O foco da linguagem da casa é arte circense passando pela integração de outras artes relacionadas como a música, a dança, o teatro e as artes visuais.


O espaço oferece um estúdio com tablado, três quartos privados e um quarto compartilhado com seis beliches que compõem um hostel cultural, sala de leitura, além de um café que  recebe atividades culturais como música ao vivo, encontros de poetas, rodas de conversas, e performances. A CAS tem o compromisso com o impacto social e educacional, oferecendo atividades gratuitas, sobretudo para crianças de escolas públicas, do bairro Dois de Julho e circunvizinhos.

 

Nesta nova fase com uma residência fixa, o Grupo de Teatro Finos Trapos e o Coletivo das Liliths terão a tranquilidade para ampliar seus projetos de criação artística, sem a instabilidade oriunda da ausência de um espaço fixo para o trabalho. “Continuar desenvolvendo os trabalhos cênicos do grupo de teatro, mantendo firme o propósito do teatro de grupo na Bahia”, declara o produtor cultural e ator Thiago Carvalho.

 

 

Coletivo das Liliths e Grupo Finos Trapos

Foto: Arquivo

 

Foto: Arquivo CAS

 

Fique atento a nossa agenda de programação!  

Muitas ações estão por vir.

 

 

 

 

Qual o endereço? R. Democrata, 21 - Dois de Julho, Salvador - BA

Telefone? (71) 2132-1923

Como chegar? Acesse o mapa de Localização clicando aqui

 

"O tempo furioso automatiza, forma e deforma os cidadãos das grandes metrópoles."

 

 

 

Bastidores do Oficinão Finos Trapos 2017

Foto: Poliana Bicalho

  

Será encenado nos dias 20 e 21 de outubro em Salvador, no Teatro Gregório de Mattos, às 16h, a Mostra Cênica Alvorada e Entardecer da Gente Anoitecida. A encenação tem dramaturgia de Francisco André, encenação de Frank Magalhães e produção executiva de Thiago Carvalho. O elenco é composto pelos alunos da sétima edição do Curso Oficinão Finos Trapos. 

 

A trama narra o cotidiano na vida dos cidadãos da cidade de Doutrinlândia – A Cidade Mais que perfeita. Dos primeiros raios de sol ao crepúsculo, os cidadãos que moram na Chapada dos Desolados correm contra o tempo para ganhar a vida sem se perder no novelo dos Tecelões do Tempo e outras criaturas míticas que encontram pelo caminho. No espetáculo o público se torna também um personagem da trama - o estrangeiro -  que afeta e é afetado pelas relações que se estabelecem entre criaturas míticas, arquetípicas e naturalistas da trama.

 

O resultado cênico Alvorada e Entardecer da Gente Anoitecida, duração de 60min,  é oriundo da condução de um processo de formação de atores baseado na metodologia do teatro colaborativo que contou com a participação de cerca de 34 alunos, no âmbito do Curso Oficinão Finos Trapos, com uma carga-horária formativa de  44h e que se iniciou no dia 18 de setembro. A temática desta Mostra configura-se como uma grande metáfora das relações entre centro e periferia presentes nas grandes cidades, a exemplo de Salvador e como os sujeitos-alunos-atores indagam este espaço.

 

A Mostra é uma ação integrante do projeto Trilha de estórias nos Trilhos do Subúrbio Montagem do Espetáculo "Ponta D'areia - Pedaço do Céu" do Grupo de Teatro Finos Trapos, selecionado no Edital Arte em Todo Dia - Ano III, realizado pela Fundação Gregório de Mattos (FGM) da Prefeitura de Salvador e que desenvolverá  ainda outras atividades, em 2018.

 

 

 Bastidores do Oficinão Finos Trapos 2017

Foto: Poliana Bicalho

 

 

FICHA TÉCNICA

 

Dramaturgia: Francisco André

Encenação: Frank Magalhães

Elenco:  Ade Argolo, Adolfo Cesar, Aila Monteiro, Alan Luís, André Cardoso, Ariane Rodrigues , Bruna Taiss, Clauter Martins, Davis, Edlene Silva, Flora Rocha, Franclin Rocha, Gabriela Baqueiro, Henrique Miranda, Iago Gonçalves, Ingrid Lago, Ingrid Miranda, Ive Carvalho, Jean Morales, Jorge Sodré, Juliana Luz, Kalú Santana, Lahana Olipa, Liana Perez, Liliane Pires, Marcos Machado, Mario Smith, Matheus Menezes, Rafaelle Aragão, Rejane de Sousa, Sara Andrade, Sergio Agnelo,Terezinha Passos, Ulisses Pavinič.

Direção Musical: Gabriel Carneiro

Músicos: Gabriel Carneiro e Matheus Menezes.

Figurino e Maquiagem: Bruna Taiss, Ingrid Miranda, Liana Perez e Rafaelle Aragão.

Adereços: Frank Magalhães 

Coordenação de Produção: Thiago Carvalho

Produção Executiva: Bruna Taiss,Flora Rocha, Henrique Miranda,Marcos Machado, Matheus Menezes, Rafaelle Aragão, Sergio Agnelo.

Programação visual: Yoshi Aguiar

Assessoria de Imprensa: Poliana Bicalho

Fotografia: Ingrid Lago

Mediação Cultural: Poliana Bicalho

  

SERVIÇO

O que:  Mostra Cênica: Alvorada e Entardecer da Gente Anoitecida

Quando:  20 e 21 Outubro de 2017, às 16h.

Quanto: Gratuito (Distribuição de senhas 1h antes do inicio do espetáculo)

Onde: Teatro Gregório de Mattos ( Praça Castro Alves, s/nº - Centro)

Classificação: 12 anos

Mais informações:  www.grupofinostrapos.com.br

Realização: Finos Trapos Produções

Apoio financeiro:  Edital Arte em Toda Parte - Ano III, realizado pela Fundação Gregório de Mattos (FGM) da Prefeitura de Salvador.

 

 

Oficinão 2012

foto: Eduardo Oliva

 

 

Publicamos, abaixo, a lista de selecionados que participarão do Curso Oficinão Finos Trapos, promovido pelo Grupo de Teatro Finos Trapos, que ocorrerá em Salvador-BA de 18 de Setembro a 21 de Outubro de 2017 na Sala Multiuso da Casa do Benin (Rua Padre Agostinho Gomes, 17, Pelourinho)

Aguardamos todas e todos na próxima segunda-feira dia 18 de Setembro às 18h no espaço citado, onde iniciaremos as atividades

É imprescindível a presença dos selecionados e suplentes nesse primeiro encontro.

 

Relembrando algumas informações importantes:

 

 - O curso possui Carga horária: 42h

 - Horário das aulas:

Segundas e Quartas das 18 às 21h
e nos dias 20 e 21 de Outubro (Sexta e Sábado), das 14h às 18h

- Durante a execução do curso é necessário que os participantes selecionados utilizem roupas leves e que possibilitem a realização adequada de exercícios físicos;

 

CRONOGRAMA:



Execução das Aulas: de 18 de Setembro à 18 de Outubro (segundas e quartas)

Ensaio geral da mostra cênica: dia 19 de Outubro (quinta-feira)

Realização da Mostra Cênica: dias 20 e 21 de Outubro (Sexta e Sábado)

 

 

Selecionados Oficinão Finos Trapos 2017

 

  1. Adenilson de Andrade Argolo
  2. Aila Monteiro de Sousa
  3. Alan Luís de Jesus Oliveira
  4. André Silva dos Santos
  5. Bruna Taís dos Santos
  6. Davi da Hora Pereira
  7. Diego Andrade de Oliveira
  8. Dilson Ventura dos Santos Neto
  9. Edlene Crispina da Silva Lima
  10. Flora Santana Rocha Sales
  11. Franclin Correia da Rocha
  12. Henrique Miranda da Cruz Santos
  13. Iago Gonçalves dos Santos
  14. Ingrid Viana Lago
  15. Ivana Lahana Oliveira da Paixão
  16. Ive Cristiane Carvalho Costa
  17. Jean Carlos da Silva Morales
  18. Julia Anastácia Silva Barbosa
  19. Jussara Bacelar de Souza
  20. Liana Perez Moura da Silva
  21. Liliane Pires da Silva
  22. Lindete Souza
  23. Marcos de Souza Machado
  24. Mario Ferreira da Silva Neto
  25. Matheus Mato Grosso Menezes
  26. Rafaelle Almeida Aragão
  27. Rejane de Sousa
  28. Sara Andrade dos Reis
  29. Sérgio Santana de Agnelo
  30. Vânia Cristina Silva dos Santos

  

Suplentes*:

 

  1. Ariane Rodrigues dos Reis
  2. Carla Aparecida Lucena Soares
  3. Clauter Sérgio Martins Sousa
  4. Gabriela Baqueiro Souza
  5. Ingrid Miranda de Souza Pinho
  6. Isaque Ramos dos Santos
  7. Juliana Dionizia Luz Paulo
  8. Karla Crislaine S Lisboa
  9. Maria Terezinha Passos de Jesus Noblat
  10. Ulisses da Silva Santana
  11. Wellington dos Santos Lima

 

*Os Suplentes deverão comparecer igualmente nos dias 18 e 20 de Setembro de 2017 no local indicado para serem incorporados ao curso em caso da ausência dos candidatos selecionados, que perderão a prioridade à vaga ao se ausentarem nos dois primeiros encontros.

 

 

 

 

 

Em comemoração a seu décimo quarto aniversário, celebrado no último dia 04 de junho, o Grupo de Teatro Finos Trapos levanta pouso e leva na bagagem seu oitavo espetáculo de repertório para ser realizado nas cidades de Guanambi, Vitória da Conquista e Senhor do Bonfim-BA.

Essa é a primeira temporada de circulação do espetáculo MÓS AI QUÊ, trabalho mais recente do Finos estreado em dezembro de 2016 em Salvador. A primeira cidade a receber a temporada é Guanambi, a ser realizada no dia 18 de Junho no Centro de Cultura da Cidade.

Depois de um longo tempo sem retornar à cidade com seus projetos, em Julho será a vez de Vitória da Conquista, berço da maioria dos artistas do Grupo, que receberá a temporada no dia 02 de Julho de 2017 no Teatro Carlos Jehovah.

Finalmente, no dia 06 de Agosto às 19h será realizado no Teatro Reginaldo Carvalho a sessão em Senhor do Bonfim.

Em todas as cidades, a temporada do espetáculo acompanha a realização das atividades referentes à execução do Projeto Alvenarias Cênicas, que tem levado formação e reflexão sobre as artes cênicas no Estado da Bahia em cinco territórios de identidades distintos.

(para saber mais sobre o projeto Alvenarias Cênicas Clique Aqui)

O espetáculo é  inspirado no mosaico das memórias afetivas, histórias de vida e nas obras de repertório do Finos Trapos, sendo em si mesmo uma grande homenagem ao legado poético construído nessa trajetória de grandes desafios, trocas de saberes, vivências pessoais e coletivas.

A temporada de MÓS AI QUÊ será o nosso modo singelo de comemorar esses 14 anos, trabalhando e levando à frente o legado dessa gente boa que ajudou e ajuda a construir a nossa História. São essas e outras iniciativas que nos fazem continuar acreditando na Arte do Encontro - o teatro - como uma celebração do que há de melhor na humanidade: A sua perfeita imperfeição.

 Saiba mais sobre os 14 anos de trajetória do Finos clicando aqui

 

Sobre MÓS AI QUÊ

 

Trata-se de um espetáculo cênico-musical que aborda o imaginário sertanejo, os processos de criação artística e a trajetória do Grupo de Teatro Finos Trapos. A partir de recursos como a metalinguagem e o elemento biográfico como ponto de partida para a criação dramatúrgica, o espetáculo celebra a criação compartilhada e o Teatro de Grupo enquanto território de encontros e despedidas, achados e desventuras, tradição e contemporaneidade, territórios e fronteiras.

Entre as variadas comédias e dramas que passam, três artistas de um Grupo de teatro reviram seus imaginários criativos a fim de encontrar uma arrebatadora estória para seu novo trabalho e enfrentar a crise em que vivem.   Durante a jornada, visitam o mosaico de seus antigos personagens inspirados no imaginário sertanejo e procuram um novo sentido para continuarem trabalhando juntos. A linguagem da peça, inspirada na estética regionalista, proporciona ao espectador a sensação de adentrar no imaginário e no universo árduo e delicado da criação artística.

Os elementos visuais, que remetem à cultura nordestina – principal reduto das criações do Finos   Trapos,   compõem    uma   diversidade   de   signos   que representam o desnudamento do inconsciente coletivo sobre o artista sertanejo a partir da poética de encenação explorada pelo Grupo.

MÓS Aí QUÊ é um convite ao público para conhecer o universo dos processos de criação artística e entender a crise como oportunidade de sair da zona de conforto para alçarmos novos voos, explorando territórios desconhecidos.  

 

 Foto: Studio SG

Sinopse

 

A trama se passa no interior de uma companhia de teatro, que em crise, revisita seus antigos trabalhos em busca de uma nova e inspiradora estória para ser encenada e trazer outro fôlego para os artistas que trabalham juntos a longa data. Determinados, João das Dores – o dramático, Zé Galhofa – o cômico e Armando Trama – o Poeta buscam em seus imaginários criativos motivações para superar as dificuldades e, a partir do mosaico de seus espetáculos de repertório, encontrar a obra-prima que os tirará da condição precária em que vivem.

Foto: Studio SG

Serviço

 

Espetáculo: MÓS AI QUÊ

 

Temporada  em Guanambi-BA 

Quando? 18 de Junho de 2017 (Domingo)

Onde? Centro de Cultura de Guanambi (Rua Manoel Bandeira s/n, Centro)

Que horas? 19h

Quanto? R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

 

Temporada  em Vitória da Conquista-BA

Quando? 02 de Julho de 2017 (Domingo)

Onde? Teatro Carlos Jehovah (Praça da Bandeira, s/n, Centro)

Que horas? 19h

Quanto? R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

 

Temporada  em Senhor do Bonfim-BA

Quando? 06 de Agosto de 2017 (Domingo)

Onde? Teatro Reginaldo Carvalho (Praça Luiz Viana Filho, s/n)

Que horas? 19h

Quanto? R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

  

Classificação? 14 anos

E-mailEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Site: www.grupofinostrapos.com.br

 

FICHA TÉCNICA ESPETÁCULO

Gênero: Cênico Musical

Elenco: Francisco André, Frank Magalhães e Thiago Carvalho

Encenação: Frank Magalhães

Dramaturgia: Francisco André

Figurino: Leonardo Teles

Cenografia e Adereços: Yoshi Aguiar

Músico: Gabriel Carneiro

Fotografia: Diney Araújo

Designer gráfico: Wilson Gonzaga

Operador multimídia: Ricardo Andrade

Coordenador de Produção: Thiago Carvalho

Mediação Cultural: Poliana Bicalho

 

 

A atriz, maquiadora e atuadora Danielle Rosa estará no próximo mês de Março em Salvador ministrando duas oficinas destinadas à capacitação e aperfeiçoamento de intérpretes. As oficinas são resultado de sua trajetória na Cia de Teatro Oficina de Zé Celso Martinez Correia desde 2002, onde vem desenvolvendo importantes trabalhos nos espetáculos de repertório da Companhia, o que tem ocasionado grande visibilidade de sua atuação como intérprete, rendendo-lhe elogios da crítica especializada e indicação a prêmios.

 

 

 

Para quem não sabe, Danielle também foi uma das membros-fundadoras do Grupo de Teatro Finos Trapos, onde atuou em todos os trabalhos desenvolvidos pelo grupo de 2004 a 2009, quando precisou se afastar para se dedicar a sua carreira de atriz no sudeste do país. Ainda hoje temos imenso carinho e afeto por essa grande profissional e eterna integrante da família Finos Trapos, também grande parceira como fino colaboradora em alguns projetos, sempre que possível.

Em São Paulo Danielle vem atuando no Teatro Oficina e em outros espetáculos como artista independente. Foi indicada em 2016 como atriz coadjuvante pelo Site Uol, além de receber críticas elogiosas em distintas matérias em jornais, revistas e blogs especializados.

Danielle Rosa

 

 

Danielle estará em Salvador, ministrando as oficinas "A poesia na experiência de um estudo ritual (voz)" e "Maquiagem para o exercício da expressão da subjetividade".

 

Um Grupo de Teatro é feito de histórias de vida, amores, doçuras e dissabores que juntas dão forma a boas estórias. A aventura de se caminhar junto durante tanto tempo fazendo o que se faz, sendo quem se é e acreditando no que se acredita é o combustível que impulsiona, implanta o caos, a serenidade, os conflitos e as celebrações. Foi pensando em tudo isso, a partir das reflexões sobre o momento atual do nosso país e nas reverberações dos processos internos do Grupo, que decidimos encenar esse novo espetáculo de repertório. 

A ideia surgiu durante a montagem e apresentações do sarau Folia e Poesia (2015), quando revisitamos a dramaturgia e o universo poético das montagens encenadas nesses treze anos de trajetória do Finos.

Misturando ficção e realidade, MÓS AI QUÊ é uma exposição corajosa da intimidade do Finos, síntese de muitos processos que outros coletivos vivenciam Brasil e mundo afora, colocando em destaque as relações interpessoais e os desafios de conviver em coletividade, moldando as idiossincrasias e subjetividades num grande mosaico que compõe nossas escolhas de vida e ideais.

MÓS AI QUÊ expõe a crise.

A crise que vivemos como coletivo há treze anos convivendo e fazendo teatro no nordeste brasileiro; as crises próprias dos processos criativos nas artes cênicas; a crise de lidar com os contextos socioeconômicos desfavoráveis; a crise das pessoas que nos deixaram para vivenciar suas próprias trajetórias particulares; a crise de quem nos deixou para transcender ao mundo físico; a crise de valores alavancada pela ascensão conservadora atual; a crise sociopolítica e os tempos sombrios que vivenciamos nos últimos anos... Mas, acima de tudo, a crise como espaço de surgimento da novidade, da possibilidade de reflexão sobre quem somos, quem fomos e o que queremos. A crise não como um fim, mas um recomeço. 

 

"Zé Galhofa -  E então, vamos encenar essa jornada?" (MÓS AI QUÊ)

O que é?

 

Trata-se de um espetáculo cênico-musical que aborda o imaginário sertanejo, os processos de criação artística e a trajetória do Grupo de Teatro Finos Trapos. A partir de recursos como a metalinguagem e o elemento biográfico como ponto de partida para a criação dramatúrgica, o espetáculo celebra a criação compartilhada e o Teatro de Grupo enquanto território de encontros e despedidas, achados e desventuras, tradição e contemporaneidade, territórios e fronteiras.

 

MÓS AI QUÊ é o oitavo espetáculo de repertório do Grupo de Teatro Finos Trapos, que em 2016 completou 13 anos de história, com importantes contribuições para o teatro baiano, especialmente no campo da pesquisa, formação e criação artística.

 

Argumento 

 

Entre as variadas comédias e dramas que passam, três artistas de um Grupo de teatro reviram seus imaginários criativos a fim de encontrar uma arrebatadora estória para seu novo trabalho e enfrentar a crise em que vivem.   Durante a jornada, visitam o mosaico de seus antigos personagens inspirados no imaginário sertanejo e procuram um novo sentido para continuarem trabalhando juntos. A linguagem da peça, inspirada na estética regionalista, proporciona ao espectador a sensação de adentrar no imaginário e no universo árduo e delicado da criação artística.

 Os elementos visuais, que remetem à cultura nordestina – principal reduto das criações do Finos   Trapos,   compõem    uma   diversidade   de   signos   que representam o desnudamento do inconsciente coletivo sobre o artista sertanejo a partir da poética de encenação explorada pelo Grupo.

 MÓS Aí QUÊ é um convite ao público para conhecer o universo dos processos de criação artística e entender a crise como oportunidade de sair da zona de conforto para alçarmos novos vôos, explorando territórios desconhecidos.  

 

Sinopse

 

A trama se passa no interior de uma companhia de teatro, que em crise, revisita seus antigos trabalhos em busca de uma nova e inspiradora estória para ser encenada e trazer outro fôlego para os artistas que trabalham juntos a longa data. Determinados, João das Dores – o dramático, Zé Galhofa – o cômico e Armando Trama – o Poeta buscam em seus imaginários criativos motivações para superar as dificuldades e, a partir do mosaico de seus espetáculos de repertório, encontrar a obra-prima que os tirará da condição precária em que vivem.

  

Serviço

Espetáculo: MÓS AI QUÊ

Quando? 07 a 18 de Dezembro de 2016 (Quarta a domingo)

Onde? Teatro Gamboa Nova (Largo dos Aflitos, Centro)

Que horas? 19h30 (quarta a sábados) e  17h (domingos)

Quanto? R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)

Classificação? 14 anos

E-mailEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Site: www.grupofinostrapos.com.br

 

 

FICHA TÉCNICA ESPETÁCULO

 

Gênero: Cênico Musical

Elenco: Francisco André, Frank Magalhães e Thiago Carvalho

Encenação: Frank Magalhães

Dramaturgia: Francisco André

Figurino: Leonardo Teles

Cenografia e Adereços: Yoshi Aguiar

Músico: Tomaz Mota

Fotografia: Diney Araújo

Designer gráfico: Wilson Gonzaga

Operador multimídia: Ricardo Andrade

Coordenador de Produção: Thiago Carvalho

Mediação Cultural: Poliana Bicalho

 

 

Eposição Varal das Memórias

 

Foto: Leonardo Pastor

 

Durante a temporada de estreia do espetáculo MÓS AI QUÊ, você poderá conferir também uma exposição que retrata momentos de bastidores, espetáculos ações de formação e projetos executados e idealizados por nós, integrantes do Grupo de Teatro Finos Trapos, que chegamos aos treze anos de formação em 2016 .  Comemora a vida, os sabores e dissabores de permanecer realizando um trabalho continuado, as vivências desses anos, os encontros, as experiências, os aprendizados e a maturidade que bate à nossa porta. 

Em especial, este Varal  presta uma homenagem a Roberto de Abreu (In Memoriam), artista e professor de teatro, um dos fundadores deste Grupo, onde permaneceu por quase 10 anos. Evoé para Beto!

 

 

FICHA TÉCNICA EXPOSIÇÃO

 

Exposição'VARAL DAS MEMÓRIAS'

Realização: Grupo de Teatro Finos Trapos

Curadoria: Thiago Carvalho e Poliana Nunes

Consultor Fotográfico: Leonardo Pastor

Quando? 01 dezembro de 2016 a 30 de Janeiro de 2017

Quanto? Entrada franca!

Classificação? Livre!

E-mailEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

 

Contatos:

Frank Magalhães (71) 99177 8856/98752 9167

Thiago Carvalho (71)99159 0282

E-mail(s): Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

                  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Site: www.grupofinostrapos.com.br

Página 1 de 3

Fina Agenda Resumida

Blog