Grupo de Teatro Finos Trapos celebra os 15 anos de existência com a realização do Projeto Abrigo e Morada  - ano II

 


 

 

O público da capital baiana terá acesso ao longo de 2018, a espetáculos, oficinas, seminário e lançamentos de livros, promovido pelo Grupo de Teatro Fino Trapos, no âmbito do Projeto Abrigo e Morada - ano II.

Esta ação trata-se de uma proposta de manutenção continuada que foi contemplada no Edital n° 02/2016 - Apoio a Grupos e Coletivos Culturais 2016, da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. As atividades serão resultantes de uma rotina de trabalho e dialogarão diretamente com as ações desenvolvidas pelo Grupo ao longo de seus quatorze anos.

Durante a realização do Projeto Abrigo e Morada - ano II está previsto a montagem de dois espetáculos, sendo um no primeiro semestre, Ponta D’areia, Pedaço do Céu, direção Rino Carvalho e no segundo semestre o espetáculo de título provisório Mós Aí Quê de Beira de Estrada. Assim como a realização de quatro oficinas de formação: Voz para Cena com Babaya, Maquiagem com Daniele Rosa, Produção Cultural e Gestão com Rômulo Avelar e Dramaturgia com Antônia Pereira.  Ocorrerão também o Seminário Pensar, Fazer, Arte e o lançamento de dois livros, sendo um de Dramaturgias Comentada e outro de Modo de Cooperação e Produção do Grupo de Teatro Finos Trapos. 

O projeto está calcado na perspectiva do direito à cultura, neste aspecto foi pensando ações tanto de fruição, quanto de formação artística, gratuita a comunidade baiana.

 

 

CONFIRA O NOSSO CRONOGRAMA DE ATIVIDADES:

 

 

Ação: “Ô de Casa, ô de fora” – Oficinas Artísticas (Clique Aqui!)

Ação: “Eito de Criação” - Temporada “Ponta D’areia, Pedaço do Céu” 

 


 

 

 

Um Breve Histórico

 

 

Posse da Residência Artística no Espaço Xisto Bahia na primeira Edição do Finos Trapos Abrigo e morada.

Salvador, 01 de Agosto de 2008

 

A primeira edição do Finos Trapos Abrigo e Morada foi realizada no período entre Agosto de 2008 e Dezembro de 2009, em razão da aprovação no processo seletivo do primeiro Edital de Ocupação de Espaços Culturais realizado pelo antigo Departamento de Espaços Culturais (DEC) da Fundação Cultural do Estado da Bahia. Na ocasião, o edital previsa apenas a concessão das dependências do Espaço Xisto Bahia para um Grupo residente, a fim de que este realizasse atividades voltadas à dinamização do espaço cultural. 

Mesmo com as dificuldades financeiras e tendo que financiar as atividades com recursos próprios, durante um período de quase dois anos, foram realizadas diversas atividades, em caráter de ações internas (atividades voltadas para a manutenção do coletivo e sem a participação de público) e Ações externas (atividades voltadas para o escoamento da produção artística ou intelectual do coletivo e com a participação do público externo), distribuídas em distintas frentes de trabalho. A Saber:

 

Sotaque Nordestino - leituras dramáticas de texto teatrais nordestinos;

Falatório Cênico - palestras, comunicações e conferências;

Converseiro de Batente - realização de mesas redondas;

Casa da Mãe Joana - atividade de integração da Finos com ouros grupos do estado e de Salvador;

Fino Repertorio - mostra de todos os espetáculos de repertório da Finos e mostra da estréia do novo espetáculo;

Ensaio de Fi a Pavi - ensaios abertos dos espetáculos da Finos;

Eito de Arribação - oficinas de teatro;

Terreiro de Criação - ensaios de manutenção e criação do repertório da Finos Trapos.

 

 

Todas essas ações, com massiva participação dos membros do Grupo Finos Trapos e artistas, pesquisadores e docentes convidados possibilitaram uma grande articulação do Espaço Xisto e do Grupo Finos Trapos com a classe artística, estudantes, moradores do entorno do bairro Barris (região onde está localizado o Espaço Xisto e o complexo cultural da Biblioteca dos Barris), além do público em geral, que prestigiaram massivamente as atividades realizadas durante todo o período da ocupação.

O Finos Trapos Abrigo e Morada Ano II, refletindo o sucesso e a relevância dessa primeira edição para a trajetória do Finos Trapos e das políticas públicas de incentivo à ocupação de espaços culturais e de grupos artísticos e culturais baianos, pretende dar continuidade a esse legado e possibilitar  a consolidação de mais um espaço alternativo de cultura e Arte na cidade do Salvador.

Essa nova edição do projeto conta com a parceria com a Casa de Artes Sustentáveis (CAS) e com o apoio financeiro da Secretaria de Cultura, Fundo de Cultura do Estado da Bahia, através do Edital de Manutenção de Grupos Artísticos e Culturais.

Blog